segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Apresentação

Este blog foi desenvolvido como atividade de pesquisa acadêmica na disciplina de Informática, ministrada pelo professor Emigdio Henrique Engelmann, no curso de Administração de Empresas da Universidade de Santa Cruz do Sul - Campi Sobradinho / RS / Brasil.
Sobradinho, 13 de agosto, 2008.


Acadêmicos:
Iaponisa Trindade
e-mail: iaponisat@gmail.com

Marcos Carlin
e-mail: marcoscarlin82@gmail.com

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

O que é Estratégia de Marketing???



Estratégias de Marketing são aqueles planos desenhados para atingir objetivos do marketing. Uma boa estratégia deveria integrar os objetivos, políticas, e sequências de ação (tática) num todo coerente da organização. O objetivo é colocar a organização numa posição de cumprir eficazmente e eficientemente a sua missão.
A estratégia passou a fazer parte nos negócios, sendo o conjunto de objetivos da empresa e a forma de alcançá-los. Para ter uma estratégia, precisamos atuar de forma diferente, com inteligência e planejamento.
Estratégia começa com uma visão de futuro para a empresa e implica na definição clara de seu campo de atuação, na habilidade de previsão de possíveis reações às ações empreendidas e no direcionamento que a levará ao crescimento.
É um conjunto integrado de escolhas sobre como criaremos e conquistaremos valores.




Fonte: Enciclopédia.

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Nike...... "Just do It".....


Nike...
É uma empresa considerada a maior no segmento de roupas e calçados para esportes.
Seus principais rivais são a Adidas, Puma e a Reebok.
É a Líder mundial em vendas de material esportivo.
A nova visão da Nike traduziu-se em contratos de publicidade e patrocínios que se destinavam a alcançar uma audiência desportiva mais vasta, patrocinando assim atletas individuais, principal fonte de propaganda é sem dúvida o jogador de futebol Ronaldo, que foi o primeiro jogador de futebol do mundo, a ser patrocinado pela empresa Nike.
A Nike promoveu a mensagem de que todos nós podemos ser atletas, à nossa maneira e ao nosso próprio nível de esforço.
O slogan “Just do it” é o mais forte da história da propaganda. Muitos amam sem ao menos saber o que significa.
Os dados:
● Origem: Estados Unidos
● Fundação: 1972
● Fundador: Phill Knight e Bill Bowerman
● Sede mundial: Beaverton, Oregon
● Proprietário da marca: Nike Inc.
● Presidente: Mark Parker
● Faturamento: US$ 16.3 bilhões (2007)
● Lucro: US$ 1.5 bilhões (2007)
● Valor de mercado: US$ 27.4 bilhões (2007)
● Valor da marca: US$ 12 bilhões (2007)
● Lojas: + 200 (Niketown, Nike Women e Nike Factory Outlets)
● Fábricas: + 700 (empregando indiretamente 650 mil pessoas)
● Presença global: 200 países
● Presença no Brasil: Sim
● Maiores mercados: Estados Unidos e Japão
● Funcionários: 28.800
● Segmento: Vestuário esportivo
● Principais produtos: Calçados esportivos, relógios, óculos, roupas e acessórios
● Outros negócios: Converse All-Star, Umbro, Bauer, Hurley e Cole Haan
● Slogan: Just do It
● Website: http://www.nike.com/
O valor:
Segundo a consultoria britânica Interbrand, somente a marca NIKE está avaliada em US$ 12 bilhões, ocupando a posição de número 29 no ranking das marcas mais valiosas do mundo, além de ocupar a posição de número 18 no ranking das marca mais influentes do mundo. A empresa também ocupa a posição de número 158 no ranking da revista FORTUNE 500 (empresas de maior faturamento no mercado americano).
A marca no mundo:
A empresa tem cerca de 28.000 funcionários no mundo, operando 200 outlets próprios (Nike Factory Outlets), além das lojas Niketown e NikeWomen, tendo seus produtos vendidos em mais de 180 países. Os produtos direcionados ao público feminino atualmente geram um faturamento de quase US$ 3 bilhões, 20% das vendas totais da marca. Os 250 milhões de pares de tênis vendidos por ano garantem um faturamento de US$ 16.3 bilhões.
Curiosidade:
● A NIKE, líder mundial em vendas de material esportivo, só é a número 2 do mercado na Europa perdendo apenas para a Adidas em países como França, Espanha e Alemanha e na Inglaterra onde a marca Umbro, agora de sua propriedade, é líder de mercado.

Fonte: Mundo das Marcas

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

.....Viva o lado COCA-COLA da Vida........






Coca-Cola é um refrigerante de noz-de-cola vendido em mais de 140 países.
A bebida recebeu o nome de Coca-Cola porque originalmente o estimulante misturado na bebida era cocaína, que vem das folhas de coca.
Embora os brasileiros não tenham notado a Coca-Cola foi uma das empresas estrangeiras mais inovadora em anuncios além dos vários já conhecidos "slogans" em seus anúncios na sua longa história:

Slogans : No Brasil

1942: "A pausa que refresca"
1952: "Signo de bom gosto"
1957: " Isto faz um bem"
1960: "Coca-Cola refresca melhor"
1964: "Tudo vai melhor com Coca-Cola"
1970: "Isso é que é"
1976: "Coca-Cola dá mais vida"
1979: "Abra um sorriso. Coca-Cola dá mais vida."
1982: "Coca-Cola é isso aí"
1988: "Emoção pra valer!"
1993: "Sempre Coca-Cola"
2000: "Curta"
2001: "Gostoso é viver"
2003: "Essa é a real"
2004: "Viva o que é bom"
2006: "O lado Coca-Cola da vida"
2007: "Viva o lado Coca-Cola da música"
2008: "Cada gota vale a pena"
Os anúncios da Coca foram sempre muito penetrantes e influentes, já que um dos objetivos era assegurar que todo mundo na Terra bebesse Coca-Cola como sua bebida preferida. A publicidade da Coca-Cola tem tido um impacto significativo.
O sucesso do novo refrigerante da Coca-Cola parece estar justamente aí: a união de produto e imagem desejados pelos consumidores. Em sua estratégia de marketing, o desafio da empresa foi eliminar antigos focos de resistência. O maior problema dos produtos diet e light da Coca-Cola é que sempre tiveram pouco sucesso entre os jovens e o público masculino, uma vez que esse tipo de produto é associado a mulheres com idade entre 30 e 45 anos. Assim, a Coca praticamente ficou alijada de um segmento estratégico -- homens jovens, cada vez menos propensos a consumir produtos calóricos. As palavras diet e light foram suprimidas. As latas da Zero (o nome é o mesmo em todo o mundo), de cor preta e tipologia mais moderna, lembram as das bebidas energéticas, um sucesso entre o público ambicionado pela empresa. A Coca-Cola criou ainda um novo tipo de garrafa plástica, mais estreita, o que permite que seja carregada com mais facilidade. "Os jovens gostam de andar por aí com o refrigerante na mão e a embalagem tem um apelo direto a esse público que queremos", diz Fort, da Coca-Cola brasileira. Apenas nos Estados Unidos, a companhia investiu mais de 30 milhões de dólares em publicidade do produto, focada principalmente em internet e ações de marketing de guerrilha, bem ao gosto dos jovens.

As tentativas antes da Zero:
Para atrair os consumidores, a Coca-Cola americana apostou em uma heterodoxa variedade de sabores, mas nenhum delesrendeu o resultado esperado.
C2
Lançada em 2004 para atender quem não gostava do sabor das versões diet e light. Com metade das calorias e dos carboidratos do refrigerante normal, saiu de linha em 2007
LIME
Foi criada há dois anos, com a adição do sabor lima à Coca normal. A idéia era replicar o sucesso da Diet Coke com limão. Os consumidores não aprovaram.
BLAK
Variedade com sabor café, foi criada na França em 2006. Lançada nos Estados Unidos logo depois, a Blak não agradou aos americanos.
ZERO Apenas em publicidade, foram investidos 30 milhões de dólares para promover a Coca Zero nos Estados Unidos. É o maior lançamento desde a Diet Coke, em 1982.
Para fechar a estratégia de marketing, a empresa pôs em ação um lançamento global em alta velocidade. Uma vez bem-sucedido nos Estados Unidos em 2005, o refrigerante foi lançado no ano seguinte em dez países. Neste ano chegou a outros 19, entre eles o Brasil, onde tem apresentado boa performance. Mas a disputa não será fácil. A Ambev, fabricante local dos produtos da Pepsi, já tem um concorrente forte no mercado de bebidas de baixa caloria, o H2OH! Lançado no fim de 2006, tornou-se líder do segmento diet/light na Grande São Paulo, com 30% do mercado, ante 24% da Coca-Coca Light, segundo dados do instituto AC Nielsen. Para fazer frente à Coca Zero, a Ambev fez dois movimentos recentes: acaba de lançar a Pepsi Max e trocou o nome do Guaraná Diet para Guaraná Zero Açúcar. Eis uma briga que promete.
Fonte: Site Coca-Cola

Mc Donald's..... AMO MUITO TUDO ISSO....



Líder no segmento de serviço rápido de alimentação, o McDonald's se destaca pela qualidade dos produtos e do atendimento.
O McDonald's é hoje uma das melhores empresas para se trabalhar e a melhor franquia para se administrar. Foi justamente o sistema de franchising que permitiu ao McDonald's se tornar a rede de restaurantes mais bem-sucedida do planeta.


O Mc Donalds adquiriu uma estratégia de venda que muito de seus clientes não percebem, tendo em vista o auto preço em seus lanches, ocorreu a diminuição do movimento. Preocupado com isso, a empresa adotou uma forma bem eficaz, lançou a cada dia um lanche representando um país tendo eles um preço bem mais abaixo do valor dos lanches "tradicionais", mas o que os clientes não percebem é que curiosos em experimentarem os sabores dos novos sanduíches, eles acabam pagando o mesmo preço dos outros, quando incluem bebidas e batata frita que é o que a maioria dos clientes fazem.
A imagem da empresa tem sido um dos aspectos ajustados aos novos tempos. Para isso, o McDonald’s lançou na Alemanha no início de setembro uma nova estratégia de marketing que, pela primeira vez em sua história, deverá atingir nível mundial. A campanha irá girar em torno do lema I'm lovin' it (Amo isso!) e se enquadra em uma nova e mais ampla linha de marketing que o McDonald’s chama de “Rolling Energy”. Para o McDonald´s, este enfoque revitalizará a marca em todo o mundo, unificará as mensagens e integrará todas as ações de marketing.
Santiago Marín, analista da Euro Safei, assegura: “o McDonald's percebeu que pode conseguir diminuir os custos. Realizar uma campanha deste tipo, que não é individualizada para cada país e na qual todos os mercados utilizam o mesmo slogan, pressupõe uma economia brutal que poderia se refletir nos resultados”.
A estratégia de unificar uma campanha com uma mesma mensagem para a marca não é algo novo. A Nike com seu Just do it (simplesmente faça) já o havia feito anteriormente e obteve resultados muito bons do ponto de vista operacional. Santiago Marín recorda que, quando a Nike lançou sua campanha, “em alguns países teve de mudar a imagem de fundo da publicidade, por questões culturais. Isto é o máximo que pode acontecer com o McDonald’s em sua campanha global”, assegura.
Fonte: Ivox, guia de opiniões

Havaianas..... ToDo MuNdO uSa.....

Havaianas: Com o mundo ao seus pés
Angela Hirata, diretora de Comércio exterior da São Paulo Alpargatas.

A poção mágica do sucesso das Havaianas: marketing e comércio internacional
Nos anos 90, a Alpargatas definiu uma estratégia de marketing que mudou completamente o status das sandálias, lançando várias versões das Havaianas. A partir daí começou a brilhar no mercado internacional, nas passarelas da moda e agora está nos pés de personalidades como o presidente da República, a rainha Sílvia da Suíça, a princesa Stéphanie de Mônaco e tantas outras.
Em entrevista exclusiva ao EstudeComex, a diretora de Comércio Exterior da São Paulo Alpargatas, Angela Tamiko Hirata, conta um pouco sobre essa fabulosa trajetória.
EstudeComex – Há não muito tempo, as sandálias Havaianas não tinham no Brasil o glamour que estão conquistando tanto no País como no mercado internacional. Qual foi a estratégia da Alpargatas para mudar o status do produto?
Angela Hirata – O glamour das Havaianas veio com a mudança de estratégia de revitalização da marca em 1994, com o lançamento das Havaianas Top. Essa estratégia de revitalização incluiu o lançamento de cores da tendência da moda, embalagens, novos expositores e propaganda direcionada para um público consumidor de classe média. Já no primeiro ano atingimos os objetivos e passamos a distribuir em lojas especializadas em calçados. Sem dúvida, a propaganda também teve um papel fundamental na construção do valor da marca.
A senhora foi a precursora da idéia de levar o produto para o mercado internacional. Naquela época pode até ter parecido uma idéia visionária. Qual é a sensação de ver o resultado desse sonho?
- Vim para somar à nova estratégia da São Paulo Alpargatas de inserir seus produtos num mercado internacional, encarando as exportações de uma maneira estratégica. Existe um trabalho de equipe de profissionais que trabalham com os distribuidores, promovendo as vendas e a correta exposição dos produtos nos pontos de vendas. Sua missão é fazer com que o distribuidor de cada país perceba que aquela marca possui alto valor agregado, ou seja, os primeiros momentos de trabalho foram, de fato, posicionar e vender a marca.
Quais são os mercados que as Havaianas conquistaram nos últimos tempos e quais são aqueles que a Alpargatas pretende atingir? Há produtos diferenciados para esses mercados? Como acontece a logística de distribuição?
- Iniciou-se a exportação em 1994 em alguns países da América do Sul, que continuamos a trabalhar usando a mesma estratégia do mercado brasileiro e abrindo mais o mercado. O mercado que conquistamos com a nova estratégia de comércio exterior a partir de 2001, iniciado pelos dois países formadores de opinião (Itália e França) e para transmitir a imagem de produto ícone do nosso País, e como grande promoção da marca participamos de uma mostra sobre a América Latina na Galerie Lafayette, em Paris, e já nesse evento iniciamos a venda às vésperas do verão europeu. O sucesso desse evento nessa galeria, que é uma vitrine para o mundo, facilitou a exportação de Havaianas para outros países, entre eles Inglaterra, Bélgica, Suíça, Grécia e Mônaco.
O que torna um produto tipicamente brasileiro uma paixão mundial? Como é trabalhada a fixação da marca em outros mercados?
- Respeitar as diferenças culturais entre os povos é um fator importante para que o produto seja acolhido no planeta inteiro. O bom posicionamento da marca, a correta exposição do produto e, com certeza, a qualidade.
Em que momento a senhora realmente percebeu a verdadeira conquista do mercado internacional?
- Quando um produto popular passou a freqüentar o glamouroso mundo da moda, da televisão e do cinema e também quando aqueles que ditam moda se dão ao luxo de ir numa festa a black-tie usando sandálias Havaianas, sem contar o presidente da República Brasileira, rainha Sílvia da Suíça, princesa Stéphanie de Mônaco, entre outros, passaram a ser vistos constantemente usando Havaianas. A procura do produto por donos de marcas de renome internacional, bem como as lojas de departamentos, também de renome internacional.
As Havaianas têm conquistado também personalidades internacionais, como Nicole Kidman e Julia Roberts. Na cerimônia do Oscar, os participantes receberam um par das sandálias. Fale um pouco dessa estratégia.
- Nos EUA, foi preciso reestruturar o mercado e reposicionar a marca Havaianas. Para isso, tivemos várias ações como: participar da Semana de Moda de Nova York, MTV, Grammy e a festa do Oscar, isso tudo foi um trabalho em conjunto com o nosso distribuidor dos EUA, que tem feito um excelente trabalho de divulgação da marca utilizando as importantes personalidades ou eventos que agregam valor à marca e formadores de opinião.
Na sua opinião, qual a melhor forma de se agregar valor a um produto, já que o próprio ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan, faz apologia da agregação de valor aos produtos nacionais?
- A melhor forma de agregar valor a um produto, como já disse, é o bom posicionamento da marca, a escolha correta de distribuição e o acompanhamento e o suporte nos pontos de vendas.
Na sua opinião, qual a importância de um profissional de marketing para a área de comércio internacional?
-Para a área de comércio internacional, é necessário ter um profissional que tenha ampla visão de marketing.
Como deve agir o profissional de comércio exterior para internacionalizar empresas e produtos?
- Habilidade em detectar o seu mercado-alvo, não ter preconceitos de culturas diferentes de cada país, conhecer bem o seu produto e saber posicionar a marca corretamente.
Atualmente, a Alpargatas tem projetos de trabalhar outros produtos para o mercado internacional? Quais?
- Alpargatas tem outras marcas e produtos, que já estamos introduzindo em diversos países, são eles: Rainha, Topper, Lonas & Coberturas, Samoa, Conga, Botas de Borracha, e as marcas licenciadas Timberland e Mizuno nos mercados do Mercosul.

O que era uma commodity utilizada pelos mais pobres se tornou objeto do desejo de todas as classes sociais no mundo inteiro. Embora já vendam quase 8 milhões de unidades por ano no exterior, em 63 países, ainda provocam filas de espera.
Esses fatos de causar inveja a qualquer executivo do mundo se referem às sandálias de dedo HAVAIANAS.


Fonte:estudecomex/marketing.htm, reportagens de revista.